Pretty Little Liars PORTUGAL _ Translate

sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Summer finale de PLL é a menos vista de sempre

Pretty Little Liars conquistou nesta semana uma das melhores audiências da temporada, mas a summer finale foi a menos vista de sempre.


Taking This One To The Grave foi visto por 2.29 milhões de pessoas, mais 49 mil do que as que viram o episódio anterior.
Em termos de rating respeitante a telespectadores entre os 18 e os 49 anos, Pretty Little Liars subiu, do episódio passado para o desta semana, dos 0.8% para os 1.0%.
Contudo, esta summer finale foi a mais fraca em termos de telespectadores. A da segunda temporada - até agora a mais débil - alcançara 2.98 milhões, mais 69 mil do que os que esta alcançou.


Ainda assim, Pretty Little Liars foi o programa de cabo mais visto de terça feira, a par de Tosh.0.
Os episódios de Halloween, que se enquadram perfeitamente no tema desta série, também costumam, a par das summer finales, ser granjeados com bons resultados audiométricos. Todavia, este ano o especial de Halloween vai ser substituído por uma emissão de tributo aos fãs. O habitual episódio especial vai ser atirado para a época natalícia, tornando-se praticamente impossível prever as audiências que Pretty Little Liars irá ter nessas alturas.

Fonte: TV By The Numbers
-R
Lê mais...

quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

Homenagem a Mona Vanderwaal!

Tudo começou a 14 de Julho de 1930 com a emissora BBC. "The Man With a Flower in His Mouth" (O homem que tinha uma flor na boca), foi a primeira série americana de televisão que existiu.
84 anos depois, as séries televisivas são mundialmente conhecidas por atraírem milhares de fãs.
Algumas são de comédia, outras de romance e intriga, ou ainda de mistério, suspense ou terror.
Ao longo do tempo foram-nos apresentadas séries de sucesso ou séries que foram canceladas apenas na primeira temporada. Conhecemos personagens que pouco interessavam para a história e outros que mudaram toda a dinâmica da televisão.

A 8 de Junho de 2010 a rede de televisão ABC Family exibiu uma série que prometia dar que falar e que quebraria todos os records até então.
Pretty Little Liars (Pequenas Mentirosas) era então a recém aposta da televisão americana. Classificada como sendo uma série de drama, suspense e mistério e baseada nos livros com os mesmos nomes, PLL prometeu mudar a vida dos adolescentes de todo o mundo.
Situada na pequena cidade de Rosewood, na Pensilvânia, a série retrata a vida de um grupo de 4 raparigas que depois do desaparecimento da sua líder, começam a receber mensagens anónimas assinadas por "-A", que ameaça revelar todos os seus segredos.

Mas para quem tem o hábito de ver séries, sabe que existem personagens que ficam marcadas na história. Existe personagens que têm o dom de nos colar ao ecrã. Existem personagens que arrebatam uma única série, um único episódio ou uma única cena.

Mona Vanderwaal arrebatou a minha forma de ver televisão! Mona Vanderwaal apresentou-me o que é ser um personagem que faz história e que a marca de uma forma que nenhum outro consegue.


Mona surge na primeira temporada em flashbacks como uma rapariga bastante impopular antes de Alison desaparecer. O seu sonho era apenas pertencer ao grupo da Queen Bee. Mas Ali sempre a ridicularizou, enfatizando diversas vezes que ela não passava da "Loser Mona".
Depois de Alison desaparecer, Mona criou uma grande amizade com Hanna Marin. Ambas tornam-se as raparigas mais populares da Secundária de Rosewood.
E é assim que conhecemos Mona à primeira vista: uma rapariga simpática, fútil e com um grande sentido de humor.

Mas Mona é mais do que isso! Muito mais. No mais fundo do seu ser, Mona nunca esqueceu nem perdoou a forma como Alison a tratou. É uma rapariga insegura, cheia de complexos. Devido ao bullying que sofreu pela parte de Ali e à rejeição que sentia pelas pessoas à sua volta, Mona criou uma dimensão em si própria, no qual não era feliz com a sua vida.
O que Mona apenas queria, era atenção e carinho pela parte das pessoas. Era ser notada e amada. Era conseguir ter uma amizade verdadeira. E conseguiu-a com Hanna.

Foi por isso que tomou as rédeas do jogo de -A e resolveu atormentar as Liars. Afinal, elas absorveram a atenção que Hanna dava a Mona para elas mesmas. Sendo assim, o último episódio da segunda temporada apresenta-nos uma actriz sensacional: Janel Parrish.
Mona foi revelada como sendo -A e todo o drama, mistério e aura de suspense à volta dela, faz-nos colar ao ecrã de uma maneira que mais nenhum outro personagem me conseguiu fazer.

Tudo parece andar em câmara lenta com Mona em cena. Queremos absorver cada minuto, cada movimento e cada palavra. Mona faz Pretty Little Liars tornar-se uma série mágica. O tom de voz, as expressões faciais e o olhar penetrante, tiram-nos da nossa dimensão e transportam-nos para a cidade fictícia de Rosewood. Num piscar de olhos já não estamos no nosso quarto: estamos no mundo de Mona Vanderwaal!

Na terceira temporada somos levados para um edifício em especial. O Sanatório de Radley torna-se a nossa primeira casa, porque o nosso quarto deixou de existir depois de Mona aparecer em cena e com os seus brilhantes poderes mágicos ter-nos tirado do nosso cubículo.
Apresento-vos as melhores cenas que PLL teve. A personagem mudou, apesar da actriz ser a mesma. E é isso que nos atrai.
Enquanto que antes víamos Mona como apenas a amiga de Hanna, a rapariga bonita que gostava de atrair as atenções para si mesma e que alinhava em roubo de lojas, agora vimos o outro lado.
O lado sombrio. Conhecemos a Mona maquiavélica. A Mona que sofre de um transtorno de personalidade. A Mona que bateu no fundo do poço mas que ainda tem a capacidade de nos tornar impossível não gostar dela.

Afinal, ela é a Mona! Com os seus cabelos compridos, olheiras e sem maquilhagem, brincando com bonecas de porcelana e cantarolando músicas que fazem qualquer um tapar-se com os cobertores em pleno Verão, com jogos de palavras e charadas, Pretty Little Liars faz-nos arrepiar dos pés à cabeça quando uma cena de Mona em Radley é exibida.
Mas é mais do que isto. Mona faz-nos querer arranjar coragem no mais fundo do nosso ser, abrir os portões de Radley, caminhar por aqueles corredores obscuros e ir ter com ela!

Ela faz-nos querer vê-la em cena. Faz-nos roer de ansiedade por mais.

Mas ela não é apenas uma pessoa com uma doença mental. O que tem de mau, também tem de bom. É um génio de duas pernas e extremamente inteligente.
E neste momento já não estamos em Radley. Estamos na caravana de Mona, exactamente no meio de todos os computadores que nos dão acesso a toda a informação que queremos saber sobre as Liars. E é aqui que a nossa cabeça se perde outra vez e nos embrenhamos de uma forma na qual não conseguimos sair. Somos um computador que foi invadido pelo vírus da Mona. E por mais anti-vírus que tentemos, não a conseguimos eliminar.

But she's all better now! E quando pensamos que ela não nos consegue surpreender mais, eis que caímos estatelados no chão.
A quarta temporada ensina-nos uma grande lição: Good girls do bad things sometimes (Raparigas boas fazem coisas más às vezes).
A confissão de Mona pelo assassinato de Wilden, faz-nos um nó na cabeça em três tempos. A banda sonora ajuda, mas o mérito é de Janel.
Porque se isto não foi das melhores cenas de PLL, alguém que me avise.
Uma cena mágica não é quando o personagem faz um grande discurso para nos prender a atenção. Uma cena mágica é quando um personagem sorri e esse ridiculamente pequeno sorriso nos faz prender a atenção. Para Mona, o uso de palavras é apenas um bónus que recebemos.



Por muito que queiramos prender-nos ao passado e às boas recordações, o que conta é o presente.
E aqui estamos nós, na Quinta Temporada.
A temporada em que vimos outra (se é que ainda é possível) faceta de Mona.
Conhecemos uma Mona apavorada e com medo de Alison. Uma Mona que teve que juntar um exército de pessoas contra Ali, porque de outra forma não conseguiria enfrentá-la. Apesar de ter uma força incrível, os fantasmas do passado ainda a assombram! E Alison é cá o raio de um fantasma.

E infelizmente, como de uma epopeia se tratasse, chegamos ao fim.
Chegamos ao fim da caminhada da melhor personagem de todos os tempos das séries americanas. Da personagem mais intrigante, misteriosa e suculenta que já conheci.

Com ela queria sempre mais. Sem ela muito se vai perder.

O dia 26 de Agosto de 2014 foi marcada pelo brutal assassinato de Mona Vanderwaal. Por coincidência, foi também o dia em que Rosewood perdeu a sua magia e o dia em que PLL perdeu parte da sua essência. Foi um dia de perdas.
Foi o dia em que no twitter o assunto mais falado no momento em diversos países foi #RIPMona. O dia em que esse mesmo assunto continuou a ser o mais falado, diversas horas depois do episódio ter acabado.

Mona Vanderwaal morreu. Mas o que ela nos deu continua bem vivo. Uma personagem como esta não merecia ter um fim. Pelo menos não como este.

Não sei como irá ser PLL daqui para a frente. Não sei como será saber que Mona não nos irá brindar mais com a sua presença empolgante. Não sei como PLL irá retomar a sua magia.
Mas sei como será daqui para a frente. Sei que esta série ganhou a maior das suas perdas. E sei que apesar do rumo que os escritores lhe quiserem dar, nada vai ser igual. Porque nada é igual com a presença de Mona.

E foi assim que vos apresentei Mona Vanderwaal. Não vos consigo explicar o motivo de ela ser a minha personagem preferida sem ser por este texto.
Não vos consigo explicar a tristeza que sinto devido à sua morte no grande ecrã.

Mas de uma coisa tenho a certeza. Apesar de tudo,

You won, Mona. And Alison lost.

Descansa em paz, big mon-A!

- DF



Fonte: Youtube





Lê mais...

*SPOILERS* Janel Parrish responde algumas perguntas sobre a summer finale


 * Esse texto contém spoilers sobre o episódio 5x12 "Taking This One To The Grave", se você ainda não viu e não quer saber de nada, não leia.

Na noite de ontem, o último episódio dessa primeira parte de PLL foi exibido e nele, perdemos uma das personagens mais cativantes e magníficas de Pretty Little Liars, Mona Vanderwaal, interpretada pela nossa querida Janel Parrish. Logo após o episódio, o site ET Online ligou para a Janel e fez algumas perguntas que os fãs fizeram sobre o episódio, aqui em baixo fica a matéria completa e traduzida para vocês:

@PLLKristen: Há quanto tempo você sabia que Mona iria morrer? 
Janel Parrish: Eu recebi o telefonema de Marlene no dia anterior a mesa de leitura do episódio. Foi engraçado porque eu estava muito nervosa, você sempre pensa que pode ter acontecido alguma coisa quando Marlene chama pessoalmente o talento. Então, quando eu recebi a ligação e eles disseram: "Tenho Marlene na linha", Eu estava como "Ah, não, eu estou em apuros? Porque eu sinto que eu acabei de ser chamada na sala do diretor!" E ela estava como, "Não, você não está em apuros, mas eu quero dizer-lhe que no próximo script você vai morrer, mas não se preocupe, você não está perdendo o seu trabalho, nós ainda vamos ter você nos flashbacks."

@GraceCordy10: Qual foi sua primeira reação quando você descobriu que Mona iria morrer? 
JP: Bem, em primeiro lugar o meu coração parou! Mas, então, quando ela disse "não se preocupe você ainda tem um emprego", eu era como, "Oh bem! Você pode transformar o meu personagem em um macaco e eu ainda estaria bem."

@Ayyeitszemi: Como o elenco reagiu a morte de Mona? 
JP: Havia definitivamente um monte de rostos chocados e pessoas perguntando como, "Oh, não! Espere, você não está mais no show?! E eu era como, "Não, não, não, você ainda está preso a mim! Eu ainda estou aqui, apenas de uma capacidade diferente", o que é bom, e eu acho que vai ser realmente um toque divertido no show.

ETonline: Você acha que Mona se colocou em uma boa luta, antes de ser morta? 
JP: Eu acho que ela se colocou uma grande luta! Como você pode ver, existem impressões de mãos sangrentas em todos os lugares e que o vidro foi quebrado. Eu acho que Mona lutou com cada último suspiro que ela tinha e, talvez, "A" tem alguns arranhões e machucados, seja lá quem for, porque eu não acho que Mona cairia sem uma luta.

ETonline: Então você acha que Mona definitivamente descobriu quem é "A" nos momentos finais antes de morrer? 
JP: Ela definitivamente viu de quem era rosto, e agora ela está morta por causa disso.

@Louisxlie: Como você se sentiu filmando a cena final com Mona no porta-malas?
JP: Honestamente, foi realmente muito difícil manter os olhos abertos! [Risos] Eu era como "bem, eu só tenho que manter meus olhos abertos por mais de um segundo e, em seguida, eles vão cortar", e felizmente deu certo. Não foi estranha para mim ver a cena na TV, porque eu sabia que isso estava mantendo meus olhos abertos, e eu estava tipo "Yay! Eu não pisquei!" Mas para todo mundo que eu sei, eles ficaram chateados me vendo assim.

@LifeOfThaParty: Se Mona não morresse, qual seria o seu próximo plano?
JP: Bem, ela definitivamente estaria planejando derrubar Alison. Eu acho que ela teria encontrado as meninas, e encontrou a polícia, e encontrou uma maneira de fazer Alison pagar pelos crimes que ela acredita que encontrou evidências. E aqueles colégios eram todos muito bons, eu acho que ela teria sido muito bem em qualquer lugar.

@TinyHales: Você acha que Mona se redimiu depois de ser "A"?
JP: Eu acho que sim e eu acho que definitivamente, é por isso que [as liars] se sentiram tão culpada, e elas se sentem tão más que mesmo quando elas decidiram confiar em Mona e ela se redime, ela morre. Elas recebem este texto de "A" dizendo que é tudo culpa delas, e agora elas estão presas com essa culpa e elas estão se perguntando se há algo que poderiam ter feito para ajudá-la. Se elas tivessem confiado nela desde o início, ou deixá-la em seu círculo interno, desde o início, isso teria acontecido?

@ Fan4me: Janel, você está no especial de Natal?
JP: Eu, na verdade, estarei no episódio de Natal e isso vai ser muito divertido! Eu chego a ser o fantasma do Natal passado, presente e futuro e eu tenho que dizer, o traje, o cabelo e  a maquiagem vão ser inacreditáveis. Ele poderia muito bem ser um episódio de Halloween, porque o meu traje é incrível, parece uma fantasia de Halloween. Então eu acho que vai ser um episódio realmente muito legal, e isso vai ser divertido e assustador. Mesmo que seja um especial de Natal, é como uma espécie de episódio de fantasia, ainda há um monte de respostas para corrigir perguntas sobre o show. Eu acho que é importante que, mesmo que seja um especial, os fãs ainda deve tratá-lo como um episódio.

ETonline: Será que vamos ver a reação de Mike à morte de Mona e você acha que seus sentimentos por Mike eram verdadeiramente genuíno?
JP:
Você vai ver a reação de Mike para isso e ele está arrasado e é tão triste porque Cody tem uma cara tão fofa. E sim, eu acho que os sentimentos de Mona para Mike eram genuínos, Eu acho que eles tiveram um episódio muito doce e romântico e acho que também contribui para a devastação da morte de Mona.

ETonline: Por último, você tem uma mensagem que você gostaria de dar a seus fãs?
JP:
Sim! Eu quero que eles saibam que eu os amo muito, e não fiquem tristes por mim. Eles podem ficar tristes para Mona, eu entendo totalmente, mas não fiquem tristes por mim, porque eu não vou a lugar nenhum. Eu amo fazer parte do show e eu vou continuar fazendo parte do show, enquanto eles me querem lá, e pelo que eu estou ouvindo, isso é um tempo. Eu vou estar no show e com o elenco apenas em flashbacks e eu estou totalmente bem com isso. Você não viu o final de Mona, ela ainda será a louca dinâmica Mona, mesmo após a morte.

Fonte: ET Online
Lê mais...

sábado, 23 de Agosto de 2014

Sneak Peeks do último episódio!

Aqui ficam quatro sneak peeks da summer finale, intitulada Taking This One To The Grave.






Mais uma vez, todas as Liars aparecem menos a Aria. Não sei se estou a ficar paranóico ou se a série não se importa de todo com a personagem dela.
Acham que vem daí um bom episódio?

Fonte: Youtube
-R
Lê mais...

quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

Será Mona quem morre no próximo episódio?

Depois do segredo de Melissa revelado, esperamos ansiosamente pelo próximo episódio: o episódio final de Verão!

Depois de vermos a promo, sabemos que o episódio vai ser um final fatal! Mas quem será a vitima?
Com Melissa Hastings em Inglaterra, a nossa atenção vira-se para um suspeito que tem sido alvo de muitas teorias: Mona!

A verdade é que ninguém quer ver Mona morrer. Para mim, como já tive oportunidade de mostrar anteriormente, Mona é a melhor personagem de toda a série e se for ela realmente a escolhida para morrer, Pretty Little Liars vai perder muito da sua essência.
Mas os factos estão à nossa frente. Depois da promo que saiu, não podemos deixar de ficar preocupados.

Temos Hanna a chorar bastante (apesar de tudo, sabemos que Hanna continua a gostar e a preocupar-se muito com Mona) e também a promo mostra um candeeiro e um espelho partidos no chão.
Esse candeeiro e espelho são os mesmos de uma das imagens promocionais que saíram:
fazem parte da casa de Mona! Este é mais um dos motivos que nos preocupa.


Mas é mais do que isto!
O site Wetpaint identificou seis razões que nos levam a acreditar que Mona pode morrer no próximo episódio:

1ª- Hanna é a mais chateada.
Pela promo, Hanna parece ser a liar que está mais chateada/afectada com os recentes acontecimentos. De quem mais está ela próxima de uma forma que as suas amigas não estão? Bem, de Caleb, da sua mãe e.... Mona!

2ª - Os escritores têm a tornada  extra simpática.
Mona sempre esteve dividida entre a linha da loucura e da simpatia, mas nos últimos episódios os escritores têm salientado o seu lado mais suave, mostrando que ela está verdadeiramente com medo de Alison e que está cheia de arrependimentos por tudo o que fez no passado. Será que eles têm feito isso para terem a certeza que o público fica realmente chateado quando ela morrer?

3ª - A mãe dela está a chegar.
Sabemos que a mãe de Mona vai aparecer neste próximo episódio. Será que o motivo da sua chegada é pela sua filha ser morta?

4ª - Elá está a viver por um tempo "emprestado".
Nos livros, Mona morre quando cai do penhasco depois de se revelar como sendo a primeira e original -A. Será que os escritores de PLL decidiram mantê-la viva, mas agora o seu tempo chegou ao fim?

5ª - Há uma razão para alguém querer matá-la.
Mona é o "-A original" e nunca deixou de jogar esse jogo! Pode haver algumas pessoas que a querem ver morta, começando pelo actual -A, seguindo por Alison e até às pessoas cujos segredos ela sabe.

6 ª - "Menos uma Liar".
As promos já brincaram com o facto que vamos ter "menos uma Liar" após o final. Obviamente, devíamos  nos preocupar antes por ser umas das 4 principais Liars a morrer, mas duvidamos muito que isso aconteça. No entanto, Mona é uma grande contadora de mentiras e houve algumas partes da série em que ela meio que foi considerada uma honorária 5ª Liar, talvez por isso seja uma pista.


Alguém acha que Mona vai morrer? Se sim, porquê? E se não, porque não?
Deixem-nos os vossos comentários!


Fontes:
Facebook: PLLeks
Wetpaint


- DF
Lê mais...

quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Promos canadiana e americana da grande final!

Aqui ficam as promos americana e canadiana da summer finale de PLL, intitulada Taking This One To The Grave.



Fonte: Youtube
-R
Lê mais...

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

Review do episódio 5x10!

(Esta review vai ser feita pela –DF e –R).
Anteriormente em Pretty Little Liars:

Caleb e Hanna quase que entram para os alcoólicos anónimos; Aria confessando a verdade a Ella, faz com que a mãe termine o noivado com Zack; Emily descobre que Noel tem fotos e gravações do tempo em que Alison esteve desaparecida; Spencer junta-se a Hanna e a Caleb porque começa a ver a dobrar.


O que aconteceu esta semana:
Alison esteve sob pressão para identificar o homem que alegadamente a raptou: Cyrus. O que ninguém sabia é que Alison viveu e partilhou momentos românticos com este mesmo homem enquanto esteve desaparecida.
Fartas das mentiras de Alison, as quatro liars estão decididas a ir à polícia contar toda a verdade sobre o seu alegado “rapto”.


Cyrus Petrillo. Este é o nome do homem acusado como sendo o raptor de Alison DiLaurentis. A história dele corresponde com a de Alison. Mas em Rosewood apenas confessar não chega. Oficialmente, a vítima tem que identificar o arguido em causa. Tem 48h para o fazer, depois disso, ele pode sair livre. Tick-tack Ali, o relógio não pára!


Apesar da pressão das liars para Alison não enviar um homem inocente para a prisão, esta diz à polícia não saber quem é o homem que a raptou, pois esteve o tempo todo vendada.
- Spencer: “Tu disseste que não sabias?”
- Alison: “Eu esteva vendada, lembras-te?”
- Spencer: “Sinto muito, mas nós precisamos lembrar-te que esse sequestro nunca aconteceu?”


A discussão começa em torno das liars. Pela primeira vez desde o começo da temporada, todas elas encontram-se do lado oposto de Alison, frente-a-frente, como de um desafio se tratasse! Ali está a levar as coisas longe de mais… quase que começa a acreditar na sua própria mentira. Mas Alison tem um plano, ela tem sempre um plano! Obviamente, diz ela, foi –A quem armou esta confissão. Por isso, se Cyrus pensar que vai preso pelo rapto, elas podem segui-lo até –A  e aí a procura pela identidade de –A, acaba finalmente.


Mas num momento brilhante, Aria pergunta: “Óptimo! Nós ganhamos o jogo e descobrimos quem é –A. O que acontece quando nós perdemos?”
Um, dó, li, tá. A escolhida para ir convencer Alison a não identificar Cyrus é Emily. Claro que vão escolher a apaixonada pela Ali para a fazer mudar de ideias. Tipico.


Ao mesmo tempo, Spencer decide esconder em sua casa os envelopes com as fotografias e as gravações de Alison no suposto tempo em que ela deveria estar sequestrada. Mas quando chega ao esconderijo por debaixo do sofá, dá-se conta que a gravação que Ali lhe deu e o exame médico desapareceram. Quem apareceu no momento exacto? Melissa!


Mas quando o telefone toca e ela atende, não é Emily que está do outro lado da linha. É a gravação de Alison. A gravação que desapareceu da sua casa. “Xeque-Mate. –A” A verdade é que Melissa sempre gostou de xadrez…
Enquanto Emily tenta convencer Ali a ilibar Cyrus, o pai de Alison pressiona-a, dizendo que ela vai ter que confessar de uma vez por todas que é ele. Afinal, não há tempo a perder.


Enquanto Aria tenta consertar todos os pedacinhos partidos do coração de Ella, Hanna só tem dois objectivos: limpar a casa de Caleb e arriscar e fazer audições para um solo. Mas esta limpeza física é também uma limpeza simbólica. Hanna está farta de viver apenas mais um dia na vida de Alison DiLaurentis. Quer recomeçar a pegar as rédeas da sua vida!


Spencer decide ir ter com Aria e mostrar-lhe o que descobriu com as camaras de vigilância: 24h antes de Cyrus confessar o rapto, Melissa encontra-se com alguém no jardim e entrega-lhe algo para a mão. Diz: “Faz isso. Confia em mim. Faz isso!”


Automaticamente, Spencer acredita que o homem do outro lado é Cyrus e que dessa forma Melissa está a entregar-lhe a história de Alison e decide que é tempo de expor toda a verdade, antes que seja Alison a expô-las a todas! Aria entra em pânico.” Então e sobre nova York?”, pergunta ela, “a verdade não conta muito quando vem de um grupo de mentirosos”.
De volta a Hanna, parece que não foi apenas ela quem decidiu arriscar na audição: Mona também.  Para quem pensava que Mona não sabia cantar, engana-se. Ela sabe, e muito! Mas a audição nunca chegou a acontecer. Quando iam a caminho, Mona desmaia e caí inconsciente no chão. Hanna, sobressaltada, faz de tudo para ajudar, e quando Mona lhe pede a sua mala, esta descobre que ela tem uma fotografia de Cyrus escondida! Mona nunca brinca em serviço… já devíamos estar habituados.


Na casa de Ezra, Aria põe-no a par da mais recente bisbilhotice sobre Alison e o seu raptor imaginário. Ezra decide que tem que se envolver na história, dizendo-lhe que tem que falar com Ali para lhe pedir para não incriminar Cyrus. Mas Aria fá-lo prometer que não vai. Aria continua apaixonada por Ezra e a ultima coisa que quer é vê-lo novamente envolvido nas mentiras de Alison.


Na casa de Alison, Ali confessa a Emily que conhece Cyrus. Eles viveram juntos num porão abandonado e foi ele quem lhe fez aquela cicatriz na perna. Afinal ele não a queria, queria apenas o dinheiro dela. Pelo menos houve alguém que a fez sentir como ela faz sentir todas as pessoas: inúteis.


Quando Emily encontra Spencer, esta diz-lhe que Alison não é perigosa, apenas está ferida e que é por isso que vem agindo assim! Ela não alinha no plano de se ir contar tudo à polícia. É impressionante o quão estupida e burra a Emily consegue ser quando se trata de expor quem Alison realmente é (desculpem a sinceridade). Virando o jogo, atira-lhe à cara que a verdadeira culpada é Melissa, pois foi ela quem deu as gravações a Cyrus.


-D

Mais adiante, no Brew, Ezra vê Alison e decide contrariar a promessa que fez a Aria, ou não seria ele o Ezra. Numa cena de tensão entre os dois, Ezra assume uma postura ameaçadora, que acaba por não atingir o seu auge porque o pai da rapariga aparece e afugenta-o. As coisas acabam por ficar ainda piores para Ezra quando repara que Aria o viu a falar com Alison e que se sente traída por ele. Mais uma vez.


Junto à polícia de Rosewood, Mona está a fazer das suas, localizando o telemóvel de Tanner. Inesperadamente, Hanna entra no carro dela e pede-lhe explicações. Mona diz-lhe que quer descobrir a verdade sobre o raptor. Quando Tanner sai da polícia, Mona confessa que não a quer seguir, mas sim a Cyrus.


De volta a Aria e Ezra, os dois discutem sobre Ezra não ter cumprido o que prometeu, enquanto Aria arruma no carro a tralha de Ella e Zack que foi buscar ao Brew. Ezra pede-lhe desculpa, mas Aria simplesmente vai embora. Acabamos por perceber que ela está tão irritada com ele, pelo facto de lhe ter mentido, devido ao que se passou entre a sua mãe e o noivo, que também a enganou.


Numa outra cena que captou a atenção de toda a gente, Spencer diz a uma creepy Melissa que vasculhou o seu computador e que sabe que ela tem estado à procura de destinos para viajar. Spencer acusa-a de querer fugir e Melissa confirma. Confessa também que ajudou Mona para Spencer perceber que Ali não mudou. Melissa mostra-se muito preocupada pelo facto de Ali estar perto de Spencer e propõe-lhe fugirem as duas do país. No meio da discussão, ainda há tempo para Spencer lhe perguntar acerca do seu segredo e de ela responder que os escritores ainda não o querem revelar já. Há-que fazer render o peixe.


Mais à frente, Tanner e Ali visitam o espaço onde alegadamente o raptor a manteu em cativeiro. A inspectora quer que a rapariga confirme que aquele é o espaço, de forma a poder prender o suspeito. É então que vemos um flashback, que deve ser todo ele uma grande mentira, pois no final percebemos que tudo isto foi arquitectado pela Alison. Contudo, não vos consigo dizer se há alguma coisa verdadeira nesta cena.


 Sabemos que há um quadro, que Alison viu anteriormente quando teve de tratar do funeral da sua mãe e que supostamente a fez recordar um passado traumático. E esse quadro está aqui, neste flashback. Mas se o flashback é toda uma mentira e se Alison não sofreu coisa nenhuma naquele espaço, é impossível que o quadro lhe traga más memórias. Memórias traumáticas de algo que nunca aconteceu. Portanto, das duas uma: Ou os escritores cometeram um erro, ou o quadro fez Alison lembrar-se de outra pessoa que talvez esteve com ela naquele espaço – e lhe fez mal – em vez de Cyrus.


Anyway, basicamente o que vemos nesta cena é Alison a apresentar Cyrus a uns figurantes seus amigos que depois a rouba juntamente com eles e lhe faz um corte na perna. No final, Alison confirma que se lembra daquele lugar: “Eu nunca poderia esquecer”, confidencia.


De volta ao carro de Mona, Hanna e a amiga protagonizam um momento de partilha sobre Alison de que gostei muito. Eu adoro ver a Hanna e a Mona juntas. Mona confessa que tem medo de Alison, sendo essa a razão de estar a movimentar-se contra ela. As duas acabam por ouvir Tanner a ordenar a não libertação de Cyrus. Tarde de mais.


Noutra cena, vemos Aria na sua vida aborrecida, que consiste em estar sentada ao telemóvel a desperdiçar todo o seu potencial. Ella entra e as duas conversam sobre Ezra. Aria confessa que quer poder confiar nele outra vez e recomeçar, mas que não pode, pois, como Ella lhe havia dito anteriormente, as pessoas não mudam. A dualidade mudança/ não-mudança foi, de facto, o tema deste episódio e é por isso que esta cena entre as duas faz sentido.


Contudo, Ella fá-la ver que as pessoas são capazes de mudar, pois elas mudaram – e até Byron mudou.
Paralelamente, Alison e o seu pai chegam a casa e encontram à sua porta Emily. Emily discute com Alison sobre ter identificado um homem inocente e decide também dizer-lhe que Aria não interessa para nada no que respeita à história de –A: “A Hanna partiu a perna por causa da –A (…), eu quase morri num elevador porque estava a tentar descobrir quem te tinha morto (…), a Spencer teve de ir para Radley por causa do que o teu desaparecimento nos fez.” E não disse nada sobre a Aria. Porque também não há nada para dizer. Enfim. Emily depois exlama que esteve contra toda a gente para defender Alison, mas que agora está farta dela e se quer afastar de vez. Finalmente, Emily! Obrigado!


Mais à frente, Hanna e Caleb metem-se aos amassos com Aria e Spencer ali ao lado. Spencer diz a Aria que Melissa deu a entender que –A tem algo terrível preparado para as Liars (menos para Aria, de certeza, a não ser que ela mate mais alguém, se calhar) e que o melhor é irem contar tudo à polícia. Emily entretanto aparece e diz-lhes que Spencer tem razão. Aria é a Liar que está mais preocupada com o plano da Spencer, pois não quer contar à polícia que matou alguém. É compreensível e tive bastante pena dela.


Antes da cena final de –A, Alison encontra-se com Cyrus, revelando que foi ela que preparou tudo: foi ela que fez um acordo com Cyrus para ele confessar que a tinha raptado, pagando-lhe por isso nesta cena. Segundo percebi, ele é apenas um borra-botas, sem ninguém, que encontrou Alison no seu caminho e com quem se envolveu. Ela acabou por tê-lo na mão ao descobrir um segredo seu. Afinal de contas, concluímos que, nos recomeços, há muito boa gente que não é capaz de mudar.


Melissa grava um vídeo confessando o seu segredo, dando a entender que pode vir a bater a bota um dia destes e –A dobra várias roupas da linha de moda “-A style” enquanto vê um programa sobre cães de raça perigosa. No meio de tanta roupa preta, dobra um avental de enfermeira, semelhante ao que Alison usou quando visitou Hanna no hospital, aquando do seu atropelamento.


O que acharam do episódio? Eu achei-o interessante no que toca à psique de Ali. A história do raptor também foi suficientemente forte para nos prender a atenção, mas não houve desenvolvimentos nenhuns.
-R
Lê mais...

quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

Promo e sneak peeks do episódio 5x11!

Pessoal, aqui fica a promo e os sneak peeks do próximo episódio de PLL, intitulado No One Here Can Love Or Understand Me.
- No primeiro sneak peek vemos que Caleb está a ter problemas em largar o álcool;
- Emily e Paige estão a reaproximar-se;
- Toby está de volta e Spencer quer convencê-lo a ajudar Caleb a largar o álcool;
- Mike/ Mona volta a ser uma realidade e Aria está contra a relação deles;









Ansiosos pelo episódio?

Fonte: Youtube
-R

Lê mais...

segunda-feira, 11 de Agosto de 2014

Review do episódio 5x09!

(Esta review vai ser feita pela -DF e -R).

Anteriormente em Pretty Little Liars:
As inseguranças e a actual situação de Hanna (o facto de se enfrascar de álcool como não houvesse amanhã) continuam a atormentá-la quando Alison se muda para  casa dela enquanto o seu pai está fora da cidade.


Dessa forma, forçada a viver com a única pessoa que tenta evitar a todo custo, Hanna e Caleb envolvem-se cada vez mais nos caminhos do álcool e Hanna acaba em uma situação complicada. Zac, o noivo de Ella, dá em "cima dela", dando-lhe até o seu número de telemóvel. Enquanto isso, Aria não acredita na confissão de Hanna e descuida-se das suas tarefas como madrinha.


Por outro lado, Spencer e Emily colocam-se numa situação de risco quando seguem uma pista perigosa sobre Bethany, a rapariga morta encontrada na sepultura de Alison.

O que aconteceu no episódio desta semana:
"Marcha de Crimes", 5x09: Caleb e Hanna continuam envolvidos no alcoolismo, Aria confessa a Ella o que Hanna lhe disse, o que leva ao fim do noivado, Emily descobre novas informações sobre Alison e Noel, Spencer faz uma descoberta no oftalmologista e Jenna e Byron regressam a Rosewood.


O facto de Alison ter contratado Noel para arrombar a casa de Ashley Marin está a criar ainda mais conflitos entre as Liars. Podemos notar assim que Alison é capaz de fazer qualquer coisa para se beneficiar e fugir impune de culpas.


Posto isso, o episódio começa com uma discussão entre Alison, Spencer, Emily e Hanna. A Rainha das Mentiras culpa as restantes amigas de não a ajudarem e de a espiarem e que por esse motivo teve que recorrer a Noel, pois estava a ficar "sem opções". Aliás, a melhor forma de fazermos alguém acreditar que fomos realmente raptadas, é contratar uma pessoa para arrombar a casa da nossa melhor amiga para fazermos a policia acreditar que estamos a ser perseguidas. És um génio do mal, Alison!


Enquanto Emily está a ir para casa depara-se com Noel dentro do carro a ouvir uma gravação com a voz de Alison "Não posso continuar com isso. Tens que me encontrar a meio do caminho. É muito perigoso e eu não vou arriscar mais, ok? Shana, por favor, não discutas mais comigo sobre isso."
Neste momento sabemos que Noel tem Alison na mão. Mas o que será que Alison tem contra Noel?


Depois de Hanna dizer à sua mãe que não vai à festa de noivado de Ella e Zack, Ashley descobre que ela continua a refugiar-se no alcoól para esquecer os problemas. Todos sabemos o quanto Ashley já passou nesta série e temos imensa pena que uma das nossas mães preferidas esteja a levar um baile de Alison, embrulhado em mentiras.


Enquanto isso, Ella e Aria são interrogadas pela detective Tanner. O que parecia ser um interrogatório sobre o arrombamento à casa das Marin, acaba por ser uma lista de perguntas sobre a relação amorosa entre Aria e Ezra.


Acredito que neste ponto, com todas as mentiras e segredos envolvidos, Alison esteja com medo de perder as suas amigas e ainda com mais medo que elas não corroborem na sua história. Por esse motivo Alison diz a Spencer "Se uma de nós cair, todas caem, e -A ganha". O que por outras palavras é o mesmo que dizer: "Nem se atrevam a deixar-me na mão porque se o fizerem a próxima pessoa a ser enterrada viva nesta cidade serão vocês as 4"!.


Por outro lado, Emily encontra-se com o treinador de natação para acertarem os últimos pormenores sobre o seu novo emprego: Treinadora Auxiliar da equipa de natação da Escola Secundária de Rosewood. Durante a conversa, Emily repara num dossier que diz: Atribuição de Cacifos para Rapazes.


Não é tarde nem é cedo. Emily consegue descobrir onde é o cacifo de Noel e rouba-lhe as chaves do carro. O objectivo? Tirar o gravador com as cassetes que ouviu a noite passada. O resultado? Bem-sucedida. Mas não foi apenas o gravador que Emily descobriu no carro de Noel. Diversas fotografias de Alison dos últimos dois anos em que ela esteve viva com alguém vestido à militar foram encontradas num envelope.


Antes da ida ao oftalmologista, Spencer decide passar na casa de Caleb, ou deverei dizer, na gruta de Caleb?
Spencer claramente já não aguenta ver Hanna a auto-destruir-se e a continuar de braços cruzados e portanto resolve fazer uma visita ao mundo de Caleb, um mundo onde nascem cervejas em cada canto, no qual existem roupas espalhadas em cada centímetro quadrado e onde se cultiva coisas estranhas dentro de panelas.


Spencer tenta explicar a Caleb que Hanna mudou completamente desde a sua chegada. A realidade é que -A voltou, Alison voltou e Hanna embebeda-se a meio do dia. Desesperada pela amiga, Spencer  relembra Caleb que eles costumavam dar força um ao outro, relembra-o de sempre achar que ele foi a melhor coisa que aconteceu na vida de Hanna e agora... agora ela não entende o que se está a passar.


De volta à escola, Alison e Hanna têm novamente um pequeno confronto. Nunca se viu tantas discussões entre as liars durante todas as temporadas, como se tem visto nestes primeiros 9 episódios. Como Alison diz e bem: "O nosso grupo está a cair aos pedaços".


Mas esta discussão é interrompida com a chegada de uma das personagens mais misteriosas de Rosewood: Jenna Marshall!  Nesta altura, a cena incide-se entre Alison e Jenna.
Alison lamenta-se pela morte de Shana, mas como sabemos, Alison  não consegue ter coração por muito tempo e por isso a real intenção vem ao de cima: uma pergunta que Alison já queria fazer há muito tempo.  "Ela foi minha amiga antes de te conhecer. Como fizeste Shana virar-se contra mim?".
 A melhor resposta que Jenna poderia dar: "Eu não fiz. Foste tu que fizeste". E foi exactamente essa a resposta que ela deu!


Mas a parte mais engraçada de todo o episódio vem agora. A banda sonora Spelles - Bird on a Cage leva-nos para o oftalmologista. Spencer entre num mundo desfocado e enublado, com duplos telemóveis, duplas mãos e duplas Jennas!


Sim, duplas Jennas! Spencer liga rapidamente para Emily, pedindo-lhe para ir ter com ela ao médico, pois algo de muuuuito estranho está a acontecer. "Emily! Jenna está aqui com outra Jenna!".
Mas o muito estranho aconteceu quando no gabinete do médico Spencer vê em letras a bold: "CAN U C ME YET A" = Can you see me yet? -A = Já me consegues ver? -A


Já na casa dos Montgomery, Aria e Zack ajudam nos preparativos para a festa de noivado e conseguimos perceber que Aria começa a falar de Hanna com Zack de propósito, para ver se nota alguma reacção da parte dele. Será que o que Hanna lhe disse tinha algum fundo de verdade? Nós sabemos que sim!


-D

De regresso ao oftalmologista, Emily encontra-se com Spencer e as duas tentam, de estranhos óculos escuros colocados, dar início a uma sequela do filme MIB - Man in Black, possivelmente chamada Liars in Black. Jenna e Sidney, que vêem sair do consultório médico, serão os extraterrestres.


Emily apercebe-se que algo de errado se passa entre Sidney e Jenna – as duas conhecem-se e estão a trabalhar juntas – e que a amiga lhe mentiu. Acaba por fazer inúmeras perguntas, às quais apenas Jenna responde, porque Sidney está completamente em pânico.
A sequela do MIB acaba por não ser feita, porque Shay Mitchell não passa na fase de castings.


De volta à casa de Caleb, vemos mais uma cena em que as garrafas de cerveja fazem mais uma participação especial. Hanna conta ao namorado que o noivo de Ella se insinuou a ela. Caleb acredita na sua palavra e pretende protegê-la.


Na casa dos Montgomery, a cena inicia-se com Aria a olhar-se ao espelho, para as pessoas continuarem a dizer que é por isso que ela tem um distúrbio de personalidade. Sim, porque quem se olha ao espelho é claramente psicótico.


Ella entra no quarto da filha e rejubila por ela não estar a usar estampado de animais. As duas têm uma conversa aborrecida e é então que Aria a alerta sobre Zack e lhe pergunta se ela se quer mesmo casar. Sofregamente, Ella pergunta à filha se se passou alguma coisa inapropriada entre ela e o noivo. Ninguém pode culpar Ella. É que a Aria envolve-se com toda a gente. Mas desta vez não calhou. Aria conta à mãe o que se passou entre Zack e Hanna e Ella, cabisbaixa, confidencia que já não é a primeira vez que isto acontece.


Agora fora de ironias, senti-me bastante mal pela Ella. Ser traída duas vezes por dois homens que ama não é fácil. Ainda por cima, tal aconteceu sempre com mulheres mais novas.
Para finalizar, gostei bastante do vestido formal da Aria. É exuberante, bem ao seu estilo, mas, ao mesmo tempo, e conhecendo a sua personalidade, simples.


No Brew, Caleb pede explicações a Zack. O noivo de Ella conta-lhe que Hanna é que ficou interessada nele, mostrando-lhe um bilhete alegadamente escrito por ela, que diz “Desculpa se fui tímida. Eu prometo que te vou compensar”. Contudo, Caleb não acredita no que lê e esmurra Zack.


De volta a casa, Caleb mostra o bilhete a Hanna e os dois concluem que foi “A” quem o escreveu e que foi por isso que Zack entrou no carro de Hanna. Será que foi mesmo “A”?


Entretanto, Emily dirige-se para o seu carro, com o intuito de ir à festa de noivado de Ella e Zack, mas Sidney impede-lhe os planos. A rapariga parece genuinamente embaraçada e conta-lhe que conheceu Jenna na altura em que ela estava na escola de cegos, onde era voluntária. Quando soube que Alison ia voltar a Rosewood, Jenna pediu-lhe que a viesse proteger. E Sidney, como não tem vida própria, veio.


Isto é o pontapé de saída para um dos melhores momentos do episódio. Sidney mostra-se arrependida, pois não pensava que Emily fosse “uma pessoa tão decente”, porém a interlocutora não mostra comiseração para com ela: Emily avisa-a, com ódio, de que vai aceitar o cargo de assistente de treinadora para controlar todos os movimentos de Sidney e para garantir que irá sofrer as consequências por a ter enganado.
Este foi um dos raros momentos em que gostei de ver Shay Mitchell a representar. Talvez ela sempre consiga um papel na sequela do MIB.


Outro momento de grande tensão liga-se, como não poderia deixar de ser, a Spencer. A rapariga vai ao anexo esconder os documentos que roubaram a Noel. Todavia, repara que está a ser observada. É então que pega num ferro e desvenda a pessoa que a está a mirar: Noel.


O rapaz quer a sua tralha de volta, mas Spencer – e nós – queremos respostas. É então que Noel lhe conta que tem andado a reunir provas de que Alison não foi raptada para as usar contra ela, caso a rapariga o queira, algum dia, prejudicar. Noel também conta que esteve em casa dos Cavanaugh quando tudo explodiu e dá a ideia de que pode ter sido Alison a rebentar a casa, para se ver livre dele.


Numa outra cena intensa e muito boa, vemos Hanna a despejar garrafas de álcool – sendo isto um sinal de que está a melhorar. Aria surge e conta-lhe que a festa de noivado foi cancelada, já que Zack é basicamente um pervertido.


Hanna conta-lhe que foi “A” que o fez agir de forma menos apropriada. Aria, que já nem se lembrava que “A” existe e que está contra ela, sente-se um tanto ao quanto abençoada por saber que, de vez em quando, a entidade misteriosa se lembra que ela existe, e returque que não interessa o que “A” fez, mas sim o comportamento de Zack.
As duas acabam por se abraçar, com Hanna lavada em lágrimas. Fazem as pazes.


Em casa das Marin, Ashley e Alison coscuvilham acerca do facto de Ella ter cancelado a festa de noivado. É então que a mãe de Hanna recebe uma chamada da polícia, dizendo que capturaram o raptor de Alison!!


Antes de passarmos para uma cena interessante, vemos, em casa dos Montgomery, que Byron está vivo! É verdade. Para quem não sabe, o actor que faz de pai de Aria foi o realizador do episódio e, pelos vistos, decidiu dar um ar da sua graça também à frente das câmaras. Basicamente ele aparece para dizer à Ella que provavelmente eles vão voltar a fazer as pazes e reconciliar-se.


Na polícia, vemos Alison a analisar o raptor a ser interrogado pela polícia e chegamos à conclusão de que ele não é raptor coisa nenhuma, porque é demasiado bem-parecido. Ele deve ser um modelo que se enganou na morada para o casting onde ia, acabando por ter ido parar à esquadra da polícia.


Agora a sério: É provável que tenha sido Alison a contratá-lo. O seu testemunho bate certo com os depoimentos da Liar. Mas ninguém aceita ir para a prisão a favor de outra pessoa. Será que Alison já conhecia aquele homem e está a fazer chantagem com ele, obrigando-o a mentir? Eu acho que sim.


Na cena final, “A” está no oftalmologista e ouve a gravação de Alison, que Noel anteriormente estava a ouvir. Será que Noel e “A” estão a trabalhar juntos?


Desculpem lá o sarcasmo nesta review, mas hoje acordei inspirado. Este foi um episódio muito bom, quando avaliado apenas nesta temporada. Estou ansioso por saber mais acerca da história do alegado raptor! E vocês?

-R

Lê mais...